Quem nunca sonhou em montar o seu próprio equipamento de áudio? De planejar como seria o som perfeito ao fazer uso dos melhores componentes do mercado. Talvez nem todos tenham a mesma visão do lendário Les Paul, músico e inventor que deixou um legado tecnológico inestimável para a indústria da música, vide os gravadores multipistas e a guitarra elétrica, ambos invenções dele. Entretanto, para quatro alunos do Curso Técnico em Eletrônica com Ênfase em Áudio, do IATEC, esse sonho de tirar do papel um equipamento e torná-lo real se concretizou.

Orientados pelo professor Celso Lara, os formandos Diego Daniel, Fabiano Braga, Thiago Nogueira e Leonardo Valdanini botaram a mão na massa e construíram, para o trabalho de conclusão do curso, um amplificador de áudio de 10W. O embrião do projeto escolhido pelo grupo foi encontrado na internet e profundamente alterado a fim de obter uma amplificação do sinal com a melhor relação sinal x ruído possível. Segundo contam os alunos, o trabalho foi dividido em três etapas bem definidas: pesquisa, montagem e medições e ajustes.

01

Na fase de pesquisa, sem saber se o projeto escolhido realmente funcionaria, o grupo começou a planejar e a pesquisar maneiras de montá-lo, sem precisar queimar, ainda, as placas (termo que se dá ao processo de criação dos circuitos), criando as trilhas com os próprios componentes soldados e usando jumpers (fios soldados) para servir de caminho para o circuito. O professor Celso, após verificar a dúvida dos alunos em relação ao projeto, sugeriu que o protótipo fosse montado com uma matriz de contato, para testar o circuito do que seria, enfim, o futuro equipamento.

02

Durante o segundo período do Curso de Eletrônica com Ênfase em Áudio, eles construíram, na aula de Análise de Circuitos, uma fonte variável de 8V (1A) com transformadores de 6+6V. Para obter maior amplificação, eles redimensionaram a fonte, trocando o transformador, primeiramente, por um Trafo de 9+9, chegando aos 12,4V; e, depois, por um Trafo de 15+15, (2A), chegando a 16,8V. Sendo assim, o equipamento já sinalizava sua arquitetura, com tensão mínima de 8V e máxima 18V, com corrente máxima de 2A.

Botando a mão na massa
Após os testes bem sucedidos com o projeto, e o circuito criado a partir da matriz de contato, chegou a hora da montagem. Para isso, cada membro do grupo idealizou um novo caminho para que as placas fossem, então, queimadas e fabricadas. Na ocasião, os alunos chegaram à conclusão de que as trilhas idealizadas pelo aluno Diego Daniel poderiam ser uma boa escolha devido à clareza do circuito criado por ele. A partir do momento em que os circuitos estavam prontos, surgiu a ideia de fazer um amplificador estéreo. Foi aí que bateu a dúvida em todos: como seria essa ligação?

03

A solução foi simples: eles fizeram a conexão pela entrada de sinal (jack), e um potenciômetro estéreo, de seis pinos, passou a controlar o volume dos dois circuitos. Cada “Circuito Amplificador” amplifica uma parte do sinal e o entrega, em sua saída, amplificado. Essa saída é ligada a um autofalante. Com dois circuitos iguais, ligados dessa forma (pelo jack), cada um com sua saída para uma caixa de som, produz-se o efeito estéreo.
Após a finalização do equipamento, o grupo ficou orgulhoso ao concluir que o projeto e o circuito funcionaram da maneira esperada, amplificando o sinal de entrada em níveis satisfatórios. As alterações no projeto elevaram um simples circuito encontrado na internet a um nível superior de entendimento, estudo, prática e aprendizado. Os quatro alunos fizeram questão de agradecer a todos os envolvidos, direta ou indiretamente, nesse projeto, em especial aos professores do curso do IATEC e o orientador Celso Lara.

04

Quer saber mais? Acesse a página do Curso de Segundo Grau Técnico em Eletrônica com Ênfase em Áudio e conheça o programa, lembrando que a próxima turma tem início no dia 19/02.

Faça o seu comentário!

*